O Que É Harmonia Funcional ?

Imagem: Reprodução guitarpedia.com

 

Mas O Que é Harmonia Funcional ?

Resumindo em poucas palavras, harmonia funcional pode ser definida simplesmente como, as sensações harmônicas empregadas pelos acordes do campo harmônico. Ou seja, é a sensação ou sentimento que experimentamos ao ouvir um acorde que representa determinado grau do campo harmônico.

Por exemplo, em uma determinada música um compositor/autor escreve sobre alegria e felicidade, e no exato momento em que a letra da canção diz a respeito de tais emoções ouvimos um acorde que transmite ou exprimi tais sentimentos.

Será isso coincidência? Será isso consequência de horas de tentativa e erro, até o compositor achar o acorde certo para tal parte da música? Provavelmente não, um compositor com o mínimo de experiência com certeza já tem em sua mente alguns acordes capazes de transmitir algumas das emoções mais características dos seres humanos, como alegria, tristeza, etc.

 

O Campo Harmônico Maior

Neste primeiro post sobre o assunto vamos tratá-lo de maneira bem básica, portanto para o melhor entendimento do mesmo no futuro vamos apresentar ou revisar para você os sete graus do campo harmônico maior.

Veja na imagem abaixo o exemplo na tonalidade de Dó Maior.

É fundamental que você tenha sempre em mente a organização do campo harmônico maior, para o entendimento das funções harmônicas que os acordes desencadeiam.

Também é importante deixar claro que os sete graus do campo harmônico apresentam suas funções de acordo com o seu “número”, por exemplo, todo primeiro grau sempre terá a mesma função harmônica em uma música, assim como o quarto, quinto ou qualquer outro grau, independente do acorde que ele seja.

Se a tonalidade da música é Dó Maior, por exemplo, o primeiro grau é o acorde de Dó Maior (C) e ao ser tocado dentro da música ele desempenha um papel ou uma função específica, que será característica para todo acorde de primeiro grau independente da tonalidade em que a música se encontra. Ou seja, em Fá maior, por exemplo, o acorde que iria desempenhar a função de primeiro grau seria o próprio Fá Maior (F).

 

As Principais Funções Harmônicas

Os graus I, IV e V do campo harmônico maior apresentam funções de destaque dentro da harmonia musical, seja para a preparação ou resolução dos acordes em uma composição. Veja a seguir:

 

Grau I – Função Tônica

Os acordes formados sobre o grau I de uma escala têm sentido conclusivo (estável) e, geralmente, aparecem na finalização de uma música. O acorde principal da função tônica é aquele cuja nota fundamental (primeira nota do acorde, ou seja, a nota que define o nome do acorde) é, também, o grau I do campo harmônico, podendo ser substituído por acordes formados sobre os graus III ou VI, que também estabelecem repouso (não tanto como o Iº), porém apresentam uma sonoridade mais fechada por serem acordes menores.

 

Grau V – Função Dominante

Tem sentido suspensivo (instável) e pede resolução na tônica ou nos graus substitutos da mesma. O acorde principal da função dominante tem sua fundamental no grau V do campo harmônico, podendo ser substituído pelo grau VII. Muitos músicos interpretam a tríade sobre o grau VII como uma tétrade do grau V desprovida de fundamental. Analogamente, a tétrade sobre o grau VII é interpretada como uma sobreposição de quatro terças sobre o grau V, também com a omissão da fundamental.

 

Grau IV – Função Subdominante

Tem sentido meio-suspensivo (meio-instável), pois se apresenta de forma intermediária entre as funções tônica e dominante. O acorde principal é formado sobre o grau IV do campo harmônico, podendo ser substituído pelo II. O grau II como subdominante é muito comum em música popular brasileira e jazz. Já na música clássica usa-se mais o grau IV.


Comentários